Transcrições

Ana Bela Cabral

Ana Bela Cabral

Transcrever em contexto profissional, independentemente da tipologia do texto e do suporte, não é uma tarefa que se limite à passagem para o papel do que se ouve a partir de uma gravação.
Sobretudo quando falamos de conteúdos jurídicos, audiências de julgamento ou outros, as competências solicitadas vão além da boa audição e do domínio do processador de texto. Antes de mais, trata-se de um exercício de elevada responsabilidade: basta lembrar que o resultado da restituição do Transcritor será analisado pelo Juiz e/ou pelos representantes legais das partes, que pode influenciar estratégias de defesa/acusação e, até mesmo, tomadas de decisão.
Um perfeito domínio da língua materna, ao nível da compreensão/interpretação e da escrita, é uma evidência que dispensa grandes aprofundamentos. A predisposição para a linguagem jurídica e um bom entendimento dos mecanismos que subjazem ao discurso oral podem ser úteis.
Acima de tudo, importa que a transcrição não seja encarada de ânimo leve, partindo-se do pressuposto (errado) de que qualquer um a pode fazer, e de que uma preparação adequada é dispensável.
Foi com base nessa convicção, e nas crescentes solicitações que nos chegam, que o Gabinete ABC decide organizar a primeira edição do Workshop de Transcrição de Conteúdos Jurídicos a levar a cabo no próximo dia 18, na sede, em Viseu, sendo que um dos objectivos é a renovação da sua própria carteira de Transcritores.
Se esta temática é do seu interesse e se pretende algum esclarecimento, não hesite em contactar-nos! (info@gabineteabc.com / 232 431 143)

Partilha esta publicação

Comentários recentes

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *