As necessidades de tradução escrita nos eventos

Ana Bela Cabral

Ana Bela Cabral

Foi hoje publicado um artigo de Ana Bela Cabral no blogue da empresa espanhola parceira Galicia Protocolo.

Aqui fica a versão portuguesa desse mesmo artigo:

            O multilinguismo é uma realidade cada vez mais frequente nos eventos institucionais. Seja porque se convidam oradores estrangeiros, seja porque se pretende divulgaro evento além-fronteiras e atrair a atenção/a adesão de públicos de outros países.

            Ao planificar o evento, o organizador não pode esquecer o aspeto linguístico e deve dar-lhe a máxima atenção, sob pena de comprometer a comunicabilidade da iniciativa.

            São variados os documentos associados a um evento passíveis de tradução: os convites a oradores e instituições estrangeiras (podem ser e-mails ou convites formais em suporte físico), toda a correspondência (normalmente, por e-mail) trocada entre a organização e o interlocutor estrangeiro, o programa do evento, o site criado para o evento (quando existente), os resumos das comunicações e/ou as próprias comunicações, as apresentações multimédia (quando existentes), as conclusões e atas do evento, entre outros.

Em qualquer dos casos, é importante selecionar empresas de tradução ou tradutores profissionais, e não “não linguistas” que dizem saber o idioma. De igual modo, sempre que possível, devem ser fornecidas referências ao tradutor: sitesna Internet, atas de encontros anteriores, glossários, etc.

Finalmente, é indispensável que todo esse trabalho seja planificado atempadamente, concedendo à empresa ou ao tradutor envolvidos prazos adequados à quantidade e tecnicidade dos textos a traduzir.

Partilha esta publicação

Comentários recentes

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado.