E-learning em Portugal: a relutância e a Plataforma ABC

Ana Bela Cabral

Ana Bela Cabral


Comparativamente com outros países europeus, a penetração do E-learning em Portugal tem-se feito muito timidamente.
Muito embora se tenha investido significativamente, desde a década de 1990, nas tecnologias de E-learning e em normas de qualidade (nomeadamente as normas de interoperabilidade LMS e as SCORM), o público português parece não aderir a esta forma de ensino na justa medida.
De acordo com dados de 2004*, enquanto os EUA e o Canadá representavam cerca de 65% do mercado do E-learning mundial, os países europeus apenas pontuam 14% (situando-se os valores mais elevados na Dinamarca e no Reino Unido), atrás da Ásia e do Pacífico com 16%. É natural que, em 10 anos, tenha havido uma ligeira evolução, mas a posição da Europa continua terciária.
Um relatório da L-Change, o observatório da Comissão Europeia para o E-learning, refere a imaturidade e a falta de transparência do mercado europeu.
No caso de Portugal, por exemplo, rotula-se de “E-learning” qualquer experiência de lecionação por simples chat ou outro instrumento do tipo Skype.
É difícil de entender a relutância dos formandos face ao E-Learning. No geral, todos os formando que já frequentaram esta forma de formação só apontam vantagens e ficam muito satisfeitos. As únicas desvantagens referidas prendem-se com:
– Problemas de ligação que impedem o login à plataforma;
– Falta de interatividade na formação que utiliza plataformas assíncronas;
No caso do departamento de formação da N/ empresa, as avaliações dos formandos é extremamente positiva: os formandos ficam surpreendidos com o caráter intuitivo da plataforma e com os resultados alcançados.
Além de todas as vantagens já conhecidas e aqui divulgadas em outras publicações, a N/ plataforma não regista problemas de acesso, dado que a empresa fornecedora realiza testes diários à mesma. A interatividade está amplamente assegurada dado tratar-se de uma plataforma mista: assíncrona e síncrona (sessões em tempo real).
Se dúvidas restam, basta agendar uma sessão grátis através do endereço formacao@gabineteabc.com!
* Fonte: “Qualidade no E-Learning em Portugal”, relatório SAF – Novabase, SA.

Partilha esta publicação

Comentários recentes

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado.