Terceira Oficina de Motivação: O LUTADOR DE SUMO E O CABO ROSA

Ana Bela Cabral

Ana Bela Cabral


Nesta terceira oficina de motivação, continuámos a viajar com o monge de Robin Sharma (“O Monge que Vendeu o seu Ferrari, Uma Fábula Espiritual”, Edições Pergaminho) e explorámos os terceiro e quarto símbolos: o lutador de sumo e o cabo rosa.
Um LUTADOR DE SUMO remete-nos sempre para valores ou qualidades como a força, a determinação, o equilíbrio, a concentração. No dizer de Sharma, esta figura simboliza o kaizen: uma palavra de origem japonesa que traduz a ideia de melhoria contínua, auto-melhoramento. Aqui, no contexto sharmiano, auto-melhoramento na construção de um caráter forte, construído de empenho, compaixão, humildade, paciência, honestidade, desenvolvimento de robustez mental e de coragem. Conceitos que, aliás, o autor revisita com frequência em toda a sua obra.
O grupo teve aqui a sua oportunidade de refletir sobre estratégias como a meditação, a prática de exercício físico, a alimentação vegetariana, a leitura, entre outras.
Relativamente ao CABO ROSA – mais um curioso símbolo de Sharma – este remete-nos para o poder do auto-controlo e da disciplina. Aqui, o grupo centrou-se sobretudo na estratégia do silêncio. O que fazer quando se sente que o controlo nos escapa? Que estratégias utilizar para nos remetermos ao silêncio? Como passar de “agressor” e/ou “agredido” a “silencioso”?
É muitas vezes por comparação aos nossos pares que nos apercebemos das nossas flutuações de controlo e disciplina. Tomamos consciência de que não estamos no caminho desejado e tentamos, quando a força de vontade e a motivação existem, modelar comportamentos positivos, visando o bem próprio e, se possível, a melhoria dos nossos relacionamentos com os outros.

Se tens interesse por temas motivacionais, vem assistir às nossas oficinas! Decorrem nas penúltimas quintas-feiras de cada mês e são gratuitas.

Partilha esta publicação

Comentários recentes

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado.