Competência comunicativa em língua estrangeira: além da gramática

Ana Bela Cabral

Ana Bela Cabral


O objetivo dos cursos técnicos de línguas não é acumular vocabulário técnico para a área de trabalho respetiva, mas preparar os Formados para trabalhar em contexto profissional. O nosso curso de Inglês para Enfermeiros tem muitos objetivos comunicativos além dos linguísticos. As partes mais importantes são a comunicação com os pacientes e com os colegas de trabalho (nomeadamente, as passagens de turno).
O desafio começa quando vemos que a língua e a comunicação nem sempre funcionam em perfeita harmonia. Um bom exemplo dessa discrepância é a brevidade e a economia do Inglês, onde os verbos têm uma conjugação muito simples, não existe género gramatical ou declinação dos sustatntivos e adjetivos e onde a maioria dos tempos verbais permite formas contraídas, como isn’tor haven’t. Economia esta refletida também na questão da cortesia porque o inglês não diferencia entre o formal e o informal como o ‘você’ e o ‘tu’ em português. Mas esse facto não torna o inglês menos preparado para expressar uma linguagem formal e correta.
A cortesia do inglês (politeness) deve ser um dos principais temas comunicativos para os que querem falar um ‘bom inglês’. Como na gramática não temos uma fórmula ‘pronta a usar’ como o ‘você’ – um símbolo do respeito, o inglês desenvolveu umas formas alternativas, ao mesmo tempo assim partindo com a sua regra de comunicação económica e breve.
Um bom exemplo é o uso do imperativo, que, podíamos dizer, no Inglês é reservado só para cães e para as crianças, como sit down! ou come here! Na comunicação mais formal e educada, esses tipos de pedidos convertem-se em Would you like to have a seat? e Could you come this way, please? São expressões mais longas, mas também comunicam muito mais que as formas económicas dos imperativos, sendo símbolos de respeito para com o interlocutor. 
Porque é tão importante a cortesia? Lembram-se da última vez que se sentiram ofendidos por alguém conjugar mal os verbos? Acredito que não… Mas é possível que a cara da pessoa que acharam maleducada seja mais fácil de lembrar… É por isso que aprender a arte da English politeness é tão importante para a comunicação efetiva e correta, sobretudo nos âmbitos profissionais.
Weronika Gasior
Prof. de Inglês ABC
PhD em Linguística Aplicada
  

Partilha esta publicação

Comentários recentes

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado.