Como diagnosticar necessidades de formação individuais em 4 passos

Como-diagnosticar-necessidades-de-formacao-individuais-em-4-passos
Ana Bela Cabral

Ana Bela Cabral

Como diagnosticar necessidades de formação individuais em 4 passos

Há dias, uma amiga minha que é esteticista contava-me que tinha feito uma formação fantástica de óleos essenciais, a 200 km de casa. A formação fora enriquecedora na medida em que tinha aprendido uma nova competência (como selecionar e aplicar óleos essenciais), mas algo dececionante na medida em que, de volta ao seu posto de trabalho, e passado mais de 1 ano, ainda não tinha aplicado o que aprendera.

Esta pequena história deu-me a ideia de escrever este artigo. Quantas horas de formação já terão sido desenvolvidas, sem que os conhecimentos aprendidos sejam efetivamente utilizados? O que motiva este desajustamento?

No caso da minha amiga, a formação foi indicada pela sua entidade patronal, muito provavelmente, com base numa ação promocional da entidade formadora ou motivada por uma tendência comercial.

Pergunto: se a entidade patronal tivesse perguntado às suas colaboradoras de que formação mais necessitavam, estaria a opção “óleos essenciais” entre as prioridades?

 

A importância do diagnóstico individual

Acredito (quero acreditar…) que, na maioria das empresas, é levado a cabo o indispensável levantamento de necessidades formativas. Acredito também que os colaboradores em questão são devidamente consultados sobre as suas reais necessidades.

Estamos a falar do contexto empresarial, onde estas questões, em condições ideais, são salvaguardadas e devidamente estruturadas.

Mas, e os outros? Os trabalhadores independentes, os free-lancers, os empresários em nome individual? Ou aqueles que, trabalhando numa empresa, querem fazer formação “por conta própria”?

Também nesses casos, a fase de diagnóstico é de extrema importância, dado que vai acabar por condicionar as fases subsequentes do processo formativo, nomeadamente, a seleção da ação de formação, da modalidade e da entidade formadora.

 

Como fazer?

Tal como sugere o IEFP, o diagnóstico de necessidades formativas pode ser orientado em 2 sentidos:

  1. a) Reativo: identificação de necessidades presentes e desajustamentos que impedem um melhor desempenho;
  2. b) Proativo: identificação de necessidades a prazo, com vista à preparação do futuro.

Embora esta classificação seja organizacional, também se aplica às necessidades individuais. Passo então a enumerar quais as etapas que deverás ter em conta para definires com clareza as tuas necessidades de formação.

  1. Avalia com objetividade o teu atual desempenho profissional. Não hesites em pedir a opinião de colegas de trabalho com os quais trabalhas regularmente. Faz uma primeira lista das tuas “lacunas”.

 

  1. Define com clareza o nível de desempenho que queres atingir e compara com o teu estado atual. Validas as lacunas acima identificadas? Qual a frequência de uso das competências identificadas? Chegarias ao patamar pretendido se fizesses formação nas áreas identificadas?

 

  1. Elabora o teu perfil formativo e o teu plano de formação personalizado. Que condições deve reunir uma ação de formação para te motivar a 100%? Qual o tempo que vais poder afetar a essa formação (sê realista)? Preferes formação individual ou em grupo? Presencial ou à distância? Em quanto tempo pretendes adquirir as competências que te faltam?

 

  1. Escolhe a entidade formadora tendo em conta todas as informações que reuniste acima. Se possível, pede referências a quem já tenha feito a mesma ação. Procura testemunhos. Investiga os métodos pedagógicos da entidade.

 

Conclusão

Partindo da análise objetiva do teu desempenho real, analisando qual o desempenho desejado, identificando lacunas e competências a aprender, consolidar ou atualizar, e traçando o teu perfil de formando, conseguirás as informações de que necessitas para selecionar a entidade formadora que mais te convém.

Também na hora de escolher a formação que queres fazer, é importante teres sentido crítico de modo a não sentires que o teu tempo foi desperdiçado.

Diagnosticar necessidades de formação individuais em 4 passos: indispensável para o teu sucesso formativo!

Partilha esta publicação

Comentários recentes

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado.